quinta-feira, novembro 16, 2006

Excursão

Na blogosfera generaliza-se um tom e um estilo que não são os meus e que me trazem francamente desconfortável.
Tem piorado.
Alastra um tom gritado, um estilo agressivo e crispado que não sei de onde vem nem ao que leva.
Onde muitos gritam, ninguém se ouve.
Entretanto, vejo gente que estimava a fechar portas e a partir.
Não é animador.

5 Comments:

At 1:57 da manhã, Blogger maria said...

Tem toda a razão Manuel, gente estimada a abandonar a Blogosfera e que não o devia fazer por todos os motivos e mais algum.
Restam-nos, porém, os (ainda muitos) outros, também estimadíssimos, que felizmente aqui se vão mantendo para nossa alegria e algum conforto espiritual, dos quais, diga-se de passagem, estamos todos mais do que precisados.
Pela parte que me toca agradeço-lhe os textos que aqui vem publicando, bem assim como textos e artigos d'outros autores a que vai fazendo referência por serem merecedores de leitura atenta. Agradeço-lhe muito particularmente a sua chamada de atenção para a Exposição de Amadeo de Souza-Cardoso a decorrer na Gulbenkian e de que ainda não tinha tido conhecimento (porque não compro jornais senão muito raramente, onde certamente viria o anúncio, como raramente abro a televisão onde, presumo, talvez tenham falado nesta Exposição embora e pensando melhor esta hipótese não seja muito provável, pois as nossas televisões, como sabemos, só passam telenovelas cujos enredos conseguem ser 'piores do que maus', política do pior que conceber se pode e futebol onde tudo o que a este (anteriormente digno) desporto diz respeito está combinado d'antemão entre todos os que, directa ou indirectamente, nele participam, como nos é garantido pelos observadores mais insuspeitos, retirando-lhe deste modo toda a beleza, interesse e emoção que outrora lhe eram intrínsecos, mas, é claro, este desiderato era um dos inúmeros objectivos a serem atingidos por quem nos tem desgovernado), Exposição que não posso perder de forma alguma.

Maria.

 
At 10:47 da tarde, Blogger Manuel said...

Fico grato pela sua gentileza, mas na verdade a alegria por aqui não é muita.
Apareça sempre.

 
At 12:39 da tarde, Anonymous Anónimo said...

A alegria não é muita? Ainda bem! Por que motivo não fecha as portas, seu nazi? Desapareça, que não faz cá falta nenhuma.

 
At 10:14 da tarde, Blogger maria said...

Se me permite volto 'à carga' (e desculpar-me-á o vulgarismo da expressão, mas aqui tem algum cabimento) sobre o que há uns tempos aqui lhe disse e pegando no que escreveu agora, diria que essa pouca alegria demonstrada (ou seria mais correcto escrever tristeza acumulada?) precisa ser recuperada com urgência. Lembre-se de que este seu Blog é efectivamente um dos de referência neste espaço imenso e aqui o substantivo 'referência' é aplicado com toda a propriedade, como aliás lhe é frequentemente lembrado pelos seus leitores, sem qualquer espécie de favor, diga-se.
Estou ciente de que a minha opinião não terá grande peso na sua decisão de fechar ou não o Blog, mal fôra dado que não me conhece, mas ainda assim tomo a liberdade de repetir, mais palavra menos palavra, o que aqui lhe disse (e repescando algo do que escrevi há dias num comentário de um outro Blog de referência, na emergência de fechar, se é que já o não está: volta e meia os bons Blogs anuncíam o seu encerramento mas os maus nunca o fazem, porque será?!?), o Blog do Manuel é, por norma, o segundo, com frequência o primeiro, que visito - se porventura o outro Blog que consulto primeiramente por uma questão de admiração, respeito e amizade, não haja entretanto produzido novos textos e este meu procedimento segue invariàvelmente esta linha porque simplesmente sou, por temperamento, de hábitos arreigados - impreterìvelmente sempre e quando abro o computador. Tornou-se uma salutar habituação, devo dizer e muito embora por falta de tempo o faça agora mais espaçadamente, ainda assim e em virtude deste facto, talvez, quando passados alguns dias, em que continuo a constatar com uma tristeza infinita o infeliz destino que estava reservado a Portugal, o retorno à Blogosfera e a simples leitura de alguns dos seus textos (como também aos de alguns outros bloguistas, igualmente excelentes e imperdíveis, que na Blogosfera vão perpassando) me transmita um ainda maior conforto espiritual do que se aqui viesse diàriamente, porque nesses momentos abstraio-me completamente do que se passa no País político durante uma, duas, mesmo três horas e mergulho - é o termo - profundamente nos textos que me interessam, neles saciando por completo a alma, leitura que não só a alimenta como a inunda de felicidade, passageira, é certo, quando retornamos à realidade do dia a dia, mas ainda assim e durante aquele período que lhe é dedicado enche-nos de felicidade genuína, o qual, salvaguardando as devidas distâncias, só é possível comparar-se à leitura d'alguns clássicos. Sendo certo, porém, que nas sociedades comtemporâneas o homem só tem disponibilidade física e espiritual para retomar estes, quando há paz política e social, salvo momentos excepcionais, que os há, em que conseguimos abstrair-nos por momentos, horas, do que se passa à nossa volta, uma vez que no nosso subsconsciente e no caso português, está sempre latente o 'problema político grave' que nos aflige e consome as energias e retira paz de espírito, sendo impossível, excepto os insensíveis, alhearmo-nos completamente dele para nos debruçarmos numa leitura serena, qualquer que ela seja, com a feliz excepção dos Blogs, por motivos diversos: independência do poder, rapidez de leitura, actualização permanente, múltipla informação fidedigna e global, diversificação de temas, textos magnìficamente escritos, independentemente dos mais díspares assuntos abordados, etc. e tudo isto nos aquece a alma, porquanto estando esta reconfortada, ao corpo ser-lhe-ão restituídas através dela, as forças vitais que se vão perdendo todos os dias um bocadinho, proporcionando-nos, a nós leitores dedicados, viver mais um, mais outro... e já sopesou o valor desses pingos de felicidade que nos são diàriamente oferecidos altruìsticamente por escelentes Bloguistas? Não têm preço. E esta habituação difìcilmente se perde.
Mas, evidentemente, o Manuel não me conhece e a minha opinião vale o que vale, isto é, pouquíssimo ou mesmo nada. No entanto muitos outros leitores haverá e são esses que contam, amigos e admiradores seus de há muito mais tempo do que eu, cujas opiniões terão, neste seu dilema, òbviamente, um peso muito superior ao meu e às quais (opiniões), com todo o respeito, deverá prestar alguma (muita) atenção. Leitores e admiradores que, presumo, igualmente não quererão prescindir do seu valioso contributo. Contributo este que não só empresta uma qualidade ímpar à Blogosfera como lhe dá elevação e das quais, valha a verdade, bem precisada está.
Medite bem antes de tomar qualquer decisão precipitada e irreversível, pois uma vez esta tomada - e espero bem que não a tome - todos os SEUS leitores em particular e a Blogosfera em geral, ficarão infinitamente mais pobres. Sinceramente Manuel, eles e ela não merecem semelhante 'desconsideração'.
Este comentário não necessita de resposta nem a ela se obrigue, por favor. Foi escrito exclusivamente com o intuito de deixar o meu modestíssimo contributo contra um possível encerramento deste seu espaço. Pondere os prós e contras, escreva menos textos se fôr por uma questão de cansaço que quer abandonar esta escrita, mas não deixe totalmente de o fazer por esmorecimento ou desânimo. Este sentimento negativo que assalta alguns espíritos lúcidos e inevitàvelmente precede decisões definitivas na Blogosfera, está terminantemente interdito aos bloguistas de excepção. Repito, reflicta calmamente e depois, se fôr o caso, tome uma decisão acertada, aquela que, sabe, todos os seus fiéis leitores esperam e desejam. Para seu e nosso bem.
Cumprimentos,

Maria.

 
At 10:15 da manhã, Blogger Manuel said...

Fico sempre desvanecido com tantos elogios, certamente exagerados.
Quanto ao blogue, suspeito que já preciso demasiado dele para ser capaz de prescindir dele com facilidade.
Cá vou andando, com mais alegria ou mais tristeza.

 

Enviar um comentário

<< Home