quarta-feira, maio 14, 2008

Corrupção

A grande razão para a inutilidade do discurso anti-corrupção: ninguém o leva a sério.
Não existe na sociedade portuguesa qualquer rejeição sincera do fenómeno, nem vontade sincera de o combater.
Quando o discurso aparece, é mais que certo: trata-se de combate político. Visa-se atingir alguém, enfraquecer "os outros" para reforçar "os nossos".
Invariavelmente, se um dos "nossos" é apanhado, a tribo reage com a compreensão familiar, a protecção solidária, a desculpabilização, o sorrizinho cúmplice, o encolher de ombros.
Do mais alto ao mais baixo, a ideia geral é que não há ninguém que mexa no mel e que não lamba os dedos.
Hoje no restaurante da Assembleia da República é recebido em apoteose para um jantar o presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa. O jantar é antecedido de um Porto de Honra no terraço do edifício novo da Assembleia, e anunciam-se as presenças de muitos actuais e antigos deputados, governantes e ex-governantes.
Na passada sexta-feira, Pinto da Costa foi suspenso por dois anos da actividade de dirigente desportivo, por ilícito disciplinar de tentativa de corrupção. O mesmo senhor é ainda arguido em vários outros processos criminais com idêntico objecto que correm os seus termos nos tribunais (não correm, arrastam-se porque com protecções desta força não há nada que os faça andar a passo normal).
O acontecimento vem mesmo a calhar para o protagonista, mas será normal que o órgão de soberania Assembleia da República seja associado a isto?
(Talvez passe a ser uso corrente, lembro-me agora do acolhimento triunfal ao deputado Paulo Pedroso. Está descoberta uma nova função para a Assembleia: a de tira-nódoas, branqueador, ou detergente lava-tudo).

3 Comments:

At 3:15 da manhã, Anonymous Planície Heróica said...

MATA-BORRÃO!! A Assembleia da República não lava, não limpa, não desinfecta, não estereliza... A Assembleia da República limita-se a absorver eficientemente as nódoas como um mata-borrão.

Um abraço,
Francisco Nunes

 
At 3:16 da manhã, Anonymous Francisco nunes said...

'esteriliza', bolas!... ai, ai

 
At 12:52 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Exactamente como a descreveu. Para não irmos mais longe.

Maria

 

Enviar um comentário

<< Home